Debandada geral: mais de 40 prefeitos deixam o PDT e partido fica cada vez mais esvaziado no Ceará

O processo de esvaziamento do PDT do Ceará ficou ainda mais acelerado, nesta terça-feira (14), com a reunião comandada pelo senador Cid Gomes.

O encontro, realizado, no Hotel Gran Marquise, em Fortaleza, foi marcado pelo anúncio da debandada geral de prefeitos eleitos pela legenda em 2020.

O deputado estadual e Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Salmito Filho, disse que um total de 46 prefeitos pedetistas participaram da reunião.

A crise no PDT começou na pré-campanha de 2022 ao Governo do Estado e, nesse momento, chegou ao ápice com a saída em bloco de, pelo menos, 43 prefeitos filiados ao partido. Um dos símbolos da debandada é o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, irmão de Cid e Ciro.

Em 2020, o PDT conquistou 66 prefeituras, mas, com o rompimento da aliança com o PT em 2022, alguns gestores decidiram se desfiliar da agremiação para seguir orientação política do hoje Ministro da Educação, Camilo Santana (PT).

ESTRAGO SEM PRECEDENTE

O estrago no PDT terá ainda maior dimensão porque, além dos prefeitos, o partido perderá, também, dezenas de pré-candidatos a prefeito de cidades do Interior do Estado e da Região Metropolitana de Fortaleza.

O destino partidário dos prefeitos ainda é incerto, mas todos seguem a orientação dos deputados estaduais e federais que, também, estão deixando o partido.

Dez deputados estaduais e quatro deputados federais, além de três suplentes à Assembleia Legislativa e dois à Câmara Federal, receberam carta de anuência para deixar o PDT sem correr o risco de perder o mandato. O documento é, porém, contesto pela Executiva Nacional do partido que é comandada pelo deputado federal André Figueiredo. André integra o grupo liderado pelo ex-presidenciável Ciro Gomes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 8 =