TARAUACÁ: O QUE FAZER?

Durante os últimos meses tenho me debruçado sobre o que podemos fazer para Tarauacá dá um passo adiante na estagnação econômica, social e cultural presente. Pensando como vou ajudar meu município, se serei candidato a um cargo executivo ou legislativo.

Já estou nessa estrada da luta por um TARAUACÁ mais mais justo e desenvolvido há mais de três décadas. Fui vereador três vezes, vice prefeito e candidato a Prefeito três vezes. Como nunca fui candidato por desejos exclusivos, estou conversando com minha família e amigos para em breve tomar uma decisão.

Como militante do movimento social, procurei organizar o povo defender seus legitimados direitos, na condição vereador dei o meu melhor, deixei marcas importantes na missão de legislar , fiscalizar e mobilizar o povo para defender seus direitos. Como gerente de órgãos públicos e vice prefeito, cumpri com sensibilidade, respeito, compromissos e lealdade e dedicação o exercício da função pública. Até mesmo quando disputei com expressiva votação a prefeitura, fiz com ética e honestidade, sem corromper a consciência do povo.

Já Lutei Acreditei muito numa vida melhor para todos, mas Confesso que já fui mais otimista em relação aos sonhos embalados de uma cidade mais humanizada com melhor qualidade de vida, de uma zona rural mais desenvolvida e promissora. Faço essa confissão não para desanimar os Tarauacaenses, mas para encorajar-los a reflexão dos nossos dilemas e responsabilidades futuras. Precisamos entender que não há mais espaços para grupos políticos, clientelistas, sem respeito ao erário.

O ano que vem haverá eleições para prefeito e vereadores. Uma eleição é sempre uma oportunidade de se promover mudanças. No entanto, não haverá soluções políticas e sociais para os problemas centrais que vivenciamos, sem a participação efetiva daqueles que precisam e desejam mudanças. O povo precisa ser ouvido.

Uma eleição é sempre um momento de muita expectativas sobre o que virá pós a abertura das urnas. Participação consciente da população no processo de mudanças deve no debate para a construção de propostas daqueles que serão escolhidos para gerenciar os recursos públicos e também para legislar e fiscalizar a aplicação dos recursos. É preciso cobrar dos candidatos e candidatas, propostas e compromissos claros para resolver as demandas coletivas da população.

Seria ideal, que todos os candidatos postulantes aos cargos no executivo e legislativo fizessem suas campanhas, conversando com o povo, construindo suas propostas e compromissos para os temas mais importantes: saúde, educação, produção, meio ambiente, segurança, assistência social, cultura, emprego e etc. Dessa forma teríamos uma eleição mais consciente e menos corrompida e enganosa.

A luta por uma eleição livre da influência do poder econômico deve ser um tema central e abraçado por todas as pessoas que desejam eleger representantes comprometidos e legitimados pela vontade cidadã. Isso não uma tarefa fácil. Todavia é possível!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =