Prefeitura fecha o CENTRIN e acusa o governo federal de não repassar os recursos.

Nesta sexta-feira (1) , a população de Tarauacá foi surpreendida com a informação da paralisação das atividades do CENTRIN- Centro de Tratamento de Integração Sensorial de Referência em Transtorno do Espectro Autista, devido ao atraso no pagamento dos profissionais. Segundo a nota do diretor técnico do Centrin , são cinco meses sem pagamento da Prefeitura de Tarauacá.

O CENTRIN atende mais de 80 crianças, sendo que , outras tantas estão diagnosticadas esperando na fila, isso porque deste que a prefeita María Lucinéia assumiu a prefeitura, nunca reajustou o contrato para ampliar o atendimento de crianças que foram diagnosticadas e aguardam atendimento. Pais e mães estão perplexos e indignados com a falta de transparência, sensibilidade e respeito da prefeitura e da secretaria de saúde.

A prefeitura públicou uma nota responsabilizando o governo federal por não enviar os recursos do PAB. A nota são meias verdades, é uma tentativa de transferir responsabilidades. O PAB fixo cai todo mês na conta da prefeitura, o PAB incremento é temporário e depende de emendas parlamentares.

Não há razoabilidade minimamente séria da gestão municipal sobre esse assunto, tão importante e grave. A prefeitura ficou 5 meses sem pagar os profissionais do CENTRIN e não avisou a associação dos autistas, a câmara de vereadores, o ministério público, as famílias das crianças atendidas e das que aguardam esperançosas na fila do tratamento. Fica evidente que senhora prefeita não estava preocupada e sabia o que ia acontecer. O CENTRIN, elogiado por todas as famílias, é uma prioridade, não podia ser negligenciado pela gestão da forma como foi.

Chagas Batista, é pai de um filho autista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − cinco =