Delgatti acusa Bolsonaro e diz que ele prometeu indulto em caso de prisão por ataque às urnas

Hacker contou em depoimento à CPMI que promessa foi feita em troca da criação de um código ‘fake’ para sabotar urna eletrônica e desacreditar o processo eleitoral.

O hacker da Vaza Jato, Walter Delgatti, disse nesta quinta-feira (17) em depoimento à CPMI dos Atos Golpistas, que Bolsonaro lhe concederia um indulto caso ele fosse preso por ataques às urnas.

Bolsonaro disse a Delgatti que

“agentes de outro país” grampearam Alexandre de Moraes.

“A ideia era que eu receberia um indulto do presidente. Ele havia concedido um indulto ao deputado federal [Daniel Silveira] e como eu estava com [inaudível] da Spoofing da época, e com as cautelares que me proibiram de acessar a internet e trabalhar, eu visava a esse indulto que foi oferecido no dia”, disse Delgatti em depoimento. 

Delgatti Neto afirmou que o marqueteiro da última campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PL), Duda Lima, queria que ele criasse um código ‘fake’ para uma urna eletrônica com o objetivo de enganar a população e desacreditar o processo eleitoral brasileiro. O hacker assegurou que Bolsonaro teria dado aval para o plano.

VEJA:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × quatro =