Ex-diretor da PRF, Silvinei Vasques é preso pela Polícia Federal por tentar fraudar as eleições de 2022

No segundo turno eleitoral, a PRF realizou operações que dificultaram o acesso de eleitores de Lula às urnas.

Na manhã desta quarta-feira (9), Silvinei Vasques, antigo diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, foi detido preventivamente em relação a uma investigação que apura interferência no segundo turno das eleições de 2022. A prisão ocorreu na cidade de Florianópolis, informa o g1.

No dia 30 de outubro, data do segundo turno eleitoral, a PRF realizou operações de fiscalização que tiveram impacto na mobilidade dos eleitores, especialmente na região Nordeste, onde Lula (PT) estava à frente de Jair Bolsonaro (PL) nas pesquisas de intenção de voto.

Na véspera das eleições, o então diretor-geral da PRF expressou seu apoio a Bolsonaro através do voto declarado.

Naquela ocasião, Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ordenou a imediata suspensão das operações da PRF, sob pena de prisão para Vasques.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + vinte =