MPAC e PC deflagram Operação Gregório no combate a crimes ambientais em Tarauacá.

Agência de Notícias do MPAC.

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), representado pela Promotoria de Justiça Criminal de Tarauacá, juntamente com a Polícia Civil (PC) de Tarauacá e Feijó, deflagrou hoje, 01, a Operação Gregório, destinada a combater crimes ambientais na Floresta Estadual do Rio Gregório, em Tarauacá.

A investigação é resultado de um procedimento investigativo criminal instaurado pelo MPAC e de um inquérito policial instaurado pela Delegacia de Tarauacá, que investigam os crimes de associação criminosa, desmatamento e exploração de terras públicas, bem como invasão de terras públicas pertencentes ao Estado do Acre.

A operação teve como objetivo o cumprimento de seis mandados, sendo três prisões preventivas e três buscas e apreensões, todos deferidos pelo Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC). De acordo com o promotor de Justiça Júlio César de Medeiros, todos os que foram presos hoje já foram denunciados pela Promotoria de Justiça Criminal de Tarauacá pela prática dos delitos.

“A Operação Gregório é uma resposta da Justiça à prática de crimes ambientais na região, visando conter os crescentes desmatamentos, e é resultado de um trabalho intenso entre MPAC, Polícia Civil, Ibama, Batalhão Ambiental e Semapi”, destacou o promotor.

O procurador-geral de Justiça, Danilo Lovisaro do Nascimento, expressou gratidão pelo empenho dos promotores de Justiça que atuaram na ação de combate ao desmatamento ilegal. Ele também enfatizou a colaboração essencial da Polícia Civil e do Tribunal de Justiça do Acre para o êxito da operação.

“Agradeço o empenho do promotor de Justiça Júlio César de Medeiros, que atuou nas investigações, bem como dos promotores de Justiça Ocimar Sales Júnior e Luis Henrique Rolim, que assinaram a denúncia. Destaco ainda o esforço investigativo da Polícia Civil e a eficiência na execução dos mandados de prisão e de outras medidas judiciais. Além disso, é importante ressaltar o papel fundamental desempenhado pelo Tribunal de Justiça do Estado do Acre, que, ao analisar esta grave questão, adotou as medidas necessárias para a realização da operação”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =