O café pode ser uma boa alternativa econômica para o estado do Acre?

As esperiencias desenvolvidas em Mâncio Lima em pequenas e médias propriedades, tem demostrado que sim. Outros municípios também já experimentam bons resultados produtivos e econômicos no cultivo do café.

Qual a vantagem do cultivo do café em relação outras atividades aqui desenvolvidas.

Temos terras festéis de fácil adaptação ao cultivo; é uma planta perene, diferente da mandioca que é preciso plantar todo ano; compatível com a redução dos desmatamentos e o equilíbrio ambiental, ótimo para ser cultivado em pequenas propriedades de economia familiar, e tem preços garantidos. O café é a segunda commodity mais comercializada no planeta Terra.

Alguns estados brasileiros como o Espírito Santo, o café vem tendo forte impacto na economia capixaba De acordo com o Incaper e com o Centro do Comércio do Café de Vitória (CCCV), 73% dos produtores de café no Espírito Santo são de base familiar, com propriedades de tamanho médio de 8 hectares. Ainda de acordo com o levantamento, são cerca de 131 mil famílias que mantêm cafezais e lavouras de café. A atividade cafeeira é responsável por 37% do Produto Interno Bruto (PIB) Agrícola capixaba.

Com apoio e incentivo de governo, após a difícil decadência da economia do ouro negro do látex da borracha, podemos encontrar uma grande salvação com o ouro negro do grão Cafeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 17 =